22 de dezembro de 2009

Castigo merecido

Não tenho, por costume, citar meu time de coração seja lá em que postagem for, pois sei que, ainda que eu escreva com fonte tamanho setenta milhões minha imparcialidade, tem sempre aqueles que veem parcialidade na opinião. Mas pra esse post vou precisar dizer que torço para o São Paulo.

E pra que? Pra falar do caso Oscar (foto), seu desligamento do clube por meio judicial e das categorias de base do São Paulo. Não vou entrar exatamente na esfera jurídica, se um dia eu fizer curso de Direito prometo entrar, mas quero fazer o post agora, não em 2015.

Um grande orgulho da instituição São Paulo Futebol Clube se chama Centro de Formação de Atletas Presidente Laudo Natel; para os íntimos, CT de Cotia. Em 2007, ouvi Juvenal Juvêncio dizer a seguinte frase: "Em 2010, a nossa ideia é não contratar mais nenhum jogador, vamos formá-los todo em casa". Ideia muito louvável.
E o clube realmente forma, vide as sempre boas campanhas na Copa São Paulo de Futebol Juniores. Mas para por aqui. O tricolor é o time brasileiro que menos dá chances aos seus jovens jogadores.

Aislan surgiu na Copa São Paulo de 2007, ao lado de Breno, tendo, inclusive, em muitas ocasiões, mais destaque que seu parceiro, hoje no Bayern de Munique - sempre há uma exceção. Desde a estreia de Aislan, em abril de 2008, o zagueiro só fez absurdas doze partidas. Se levarmos em conta que ele se destacou em janeiro de 2007, são doze jogos em três anos, quatro jogos por ano. Que jogador aguenta isso? Que jogador se desenvolve assim?

Tudo isso se torna mais grave quando o jogador vê, ano após ano, chegando novos reforços pra posição. Fico imaginando a cabeça do Aislan, vendo o Renato Silva ajudar o São Paulo a reviver seus piores momentos e ainda por cima chegar o ogro do André Luis.

Se ouve há três anos a frase: "O São Paulo busca um meia, um camisa 10, um organizador de jogadas". Na mesma edição da Copa São Paulo, surgia um meia talentosíssimo, de visão de jogo e acerto de passes espetaculares, levando o time até a decisão - derrotado pelo Cruzeiro, de Bernardo, hoje atuando no time principal da Raposa, até Libertadores já jogou. Sérgio Mota (foto) parecia nome de sucesso certo, mas ele estava no time errado: desde a sua estreia, em novembro de 2007, jogou miseráveis sete partidas.



O lateral esquerdo Diogo, titular da seleção brasileira no Mundial sub-20, ainda nem estreou. Wellington, volante muito promissor, fez 11 partidas em um ano. Na mesma posição há Bruno Formigoni, que sempre demonstrou uma grande liderança, e também não estreou. E o time contrata Léo Lima, Eduardo Costa, Zé Luis, Jadílson, Frédson...

Enquanto isso, vimos o citado Bernardo se firmando no Cruzeiro; o Grêmio com Lucas, Rafael Carioca, Douglas Costa; Inter revelando Alexandre Pato, Sandro, Tailson... Aliás, acaba de vir-me uma questão: será que o fenômeno Alexandre Pato, se fosse das categorias de base do São Paulo, teria estourado pro mundo já? Sinceramente, acho que não.

Hugo e Borges deixarão o time, e possivelmente mais alguns sairão. Borges é atacante, Hugo meia atacante; Henrique é atacante, Oscar é meia atacante. Mas já foram contratados jogadores pra suprir tais ausências.

Há muita diferença entre não pular etapas e não dar chance ao jogador.

Não consigo imaginar a cabeça de um jogador da base do São Paulo, como devem se sentir vendo que pra 2010 devem chegar uns seis reforços, enquanto eles estão lá, treinando, treinando, treinando...

Pra finalizar e ilustrar melhor tudo que estou dizendo, seguem duas matérias do ótimo site Olheiros.net, mas já destaco uma frase da matéria:

"Se estivesse na Vila Belmiro, Oscar possivelmente já teria a camisa 10 nas costas"

Acho que resume bem.


- Entenda por que Santos e São Paulo têm filosofias tão diferentes na base

- Olheiros falou com Bruno Formigoni, destaque dos juniores do São Paulo

13 comentários:

Stéfano disse...

Ótimo post. Nesse assunto sinto-me muito a vontade pra falar porque meu time também dá ótimo apoio pra meninada...
O São Paulo tem das melhores estruturas para formação de garotos. E tem grandes jogadores. Como viciado em futebol, acompanho juniores também e sei de muitos bons jogadores. Mas, incrivelmente, o clube não os utiliza.
Oscar pode sair, e ao que parece vai. Mas vai porque não está satisfeito. Como, é bem provável, irão outros.
Sempre me perguntei sobre esse tal camisa 10. Muricy reclamou por anos. Você citou o Sérgio Motta, coloco esse mesmo Oscar nesta lista. São dois meias muito melhores que todos os testados na posição. Por que não se deu mais chance? Boa pergunta.
Ah, mas tem que tomar cuidado, são meninos ainda. Sim, mas não sei se as antas percebem, torcedor tem uma paciência infinita com jogador de base. O camarada pode fazer mil cagadas que continua apoiando. Só critica quando todo time está mal.
Deve ser duríssimo ter um Aislan a disposição, um Bruno Uvine (acho que é esse o nome do bom jogador da Copa São paulo deste ano) e contratar André Luís.
Ow, na boa, se é pra fazer isso, fecha o CT de Cotia. Fecha, pega o dinheiro e gasta em contratação deste nível. Porque,a meu ver, o São Paulo está gastando dinheiro. Não pelo CT, que é ótimo, mas porque não sabe usar suas jóias.
E assim vai correndo riscos de ver, por exemplo, um menino criado aí ser, ao invés do craque do time, um eventual carrasco num futuro próximo.
Como sempre digo, dá nojo ver o amadorismo do nosso futebol por parte, especialmente, dos nossos dirigentes.
Falo com conhecimento de causa, pois no Palmeiras é até pior. O valor dado pras categorias de base é mínimo e aí vejo Maurício sendo dispensado, David saindo à força para serem contratado Jeci, Gladstone, Marcão...
Isso sem falar que tem Daniel Lovinho, mas é melhor ao invés de dar chance pro moleque contratar Obina, Ortigoza...
Enfim, acho que tá tudo errado. As categorias de base deviam ter atenção ímpar, mas meu time não pensa assim, e se fode até que se toque a respeito.
Grande abraço e parabéns pelo texto, André.

Gremista Fanático disse...

E ai André, pois é cara, realmente o São Paulo esta deixando um pouco a desejar nesse sentido ai, não sei ao certo mas acho que tem a ver com os tecnicos que talvez não sintam confiança nos jovens jogadores, enfim vamos ver como as coisas andam daqui pra frente.
Ai garoto desejo a voce e sua familia um Feliz Natal, tudo de bom, abraço.

Saudações do Gremista Fanático

carol sakurá disse...

Olá!

Temos algo em comum: A paixao tricolor.
Sou mineira e tenho simpatia pelo Galo,em função da minha família,mas sou São-Paulina.
Concordo com seu ótimo texto.Antigamente havia uma valorização das pratas da casa,pelo São Paulo.Não sei se vc se lembra,mas em 1995,Muricy Ramalho era auxiliar técnico do Mestre Telê e havia um time paralelo chamado Expressinho,onde eram valorizados muitas pratas da casa.

Bons tempos...

Beijos!

p.s:Adorei seu coment na coluna da Dra.Rouge

Jefferson freire disse...

Muito bom o post, os cvlubes de uma maneira geral têm paciência para formar o atleta, mas não tem paciência para esperar ele se adequar ao futebol profissional. Querem logo fazer dinheiro com as jovens promessas e na maioria das vezes fazem maus negócios, preferem contratar jogadores a peso de ouro que na maioria das vezes não gera metade do lucro q a "jóia" da base renderia.

Fazer o q?

Abços

Cadê Meu Camisa 10? disse...

André me resumo a dizer, perfeito seu post... Escrevi muito pouco nomeu blog, por causa da raiva.. hehe..

Abs..
www.cademeucamisa10.com

Érico Barboza disse...

Concordo plenamente com o que foi dito no seu post, porém, faltou um nome: Muricy Ramalho. Não adianta, não gosto do trabalho dele e tenho certeza que a falta de oportunidades aos garotos de Cotia tbm tem a culpa do Muricy. Tanto é que, com a chegada do Ricardo Gomes, o próprio Oscar, entre outros, tiveram algumas oportunidades. Acredito que, mesmo com a contratação de reforços, em 2010 haverá oprtunidades para Henrique, Wellington e Sergio Mota. Caso o São Paulo vença Oscar na justiça, ele tbm terá sua chance, mas terá que jogar mta bola para reconquistar a torcida tricolor.

Grande abraço!

Érico Barboza
http://blogdoericobarboza.blogspot.com

Mel disse...

ótimo post!
Realmente, o São Paulo não tem formado grandes estrelas atualmente, mas hoje vejo que não é um mal só dele não... Lembro agora da frase "craque o Flamengo faz em casa" que é bem comum ver por aí, até no site oficial do Mengão... No entanto faz um tempo que não vemos grandes jogadores da base do Fla.
Acho que falta um pouco de confiança do clube e do técnico nesses garotos, falta oportunidade à eles, até como mostra os numeros que você colocou aí... Não acredito nem que a questão seja investimento, acho que é falta de arriscar um pouco por eles...
Grande postagem!

Feliz Natal e um ótimo 2010 pra voce!
Abraço.

Flávio Santos disse...

André,

Parabéns! Na minha singela opinião, foi sua melhor postagem desde que o acompanho!

Há setores da imprensa tratando o Oscar como se fosse um garoto bobo e rebelde. Penso justamente o contrário: ele está cobertíssimo de razão. O São Paulo deu brechas e permitiu que atleta tomasse essa atitude. Logo o todo poderoso clube do Morumbi deixar de pagar Fundo de Garantia e violar regras para contratos, quem diria.

O Tricolor, nestes últimos anos, teve grandes oportunidades para experimentar garotos. Existe melhor período para lançar jovens do que meio a glórias de títulos brasileiros, continentais e mundiais?

Abraços

Flávio Santos disse...

André,

Feliz Natal!
Um excelente Ano Novo!

Fiz o último texto de 2.009 no meu blog e citei o Futebol ao Cubo e você.
Dá uma lida depois!

Abraços

P.S: Nas férias, continuarei a comentar por aqui...

Adriano disse...

André, o post está excelente e bem fundamentado. Contudo, não podemos esquecer do fator empreendimento no futebol. O São Paulo não é um clube com estrutura diferenciada por acaso... Muitos dos jovens atletas são diariamente observados nos treinos por olheiros, e partem por empréstimo para ganhar corpo, postura e aperfeiçoamento em clubes menores. Quando voltam já estão melhor preparados para seu clube de origem sem custo nenhum e prontos para render em campo e na venda para a Europa.

Veja só: Oscar, que jogou tão pouco, é reconhecidamente um craque. Quem disse isso? A imprensa e os olheiros que não perdem treinos. Qual o salário de Oscar? Bem menor que o de Hernanes, mas sua venda pode render um bom valor. Portanto, no âmbito empresarial, o tricolor está fazendo o certo, mesmo que muitos atletas sintam-se prejudicados.

Oscar cospe no prato que comeu, pois no SPFC, mesmo sem jogar, ganhou visibilidade e a chance de crescer. Poderia estar no Guarani ou na Potuguesa todo esse tempo... mas no SPFC já nasceu com um bom lastro e recebeu tudo do bom e do melhor para tornar-se profissional. Deveria ter um pouco mais de paciência e esperar a sua vez no grande clube que o preparou profissionalmente.

Hoje o SPFC é muito maior que muitos clubes brasileiros porque sabe gerenciar talentos e conquistar títulos, e Oscar não foi e nem será um divisor de águas nesse quesito.

Grande abraço!!
Adriano

Claudio Henrique disse...

Cara tá feio o negócio, o São Paulo perdeu muito com isso, pois só pensa em lucrar e não dixa o atléta evoluir (não é só o SPFC que faz isso, mas grande parte dos clubes em geral). Só pensam em contratar e não dão chance a garotada que quem sabe, pode salvar o time assim como aconteceu com o Santos em 2002. Ótimo post.

Abraços

Lucho Cláudio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lucho Cláudio disse...

Texto muito bem escrito, parabéns.



Em todo lugar é assim, os times preferem contratar Ruy's, Galego's, Gláucio's, Triguinho's, Frédson's e Rissut's(definitivamente eu não simpatizo muito com ele.. HAHA), a dar chance para atletas da base mostrarem seu talento. Só que no São Paulo isso acontece com mais frequência...



EU TINHA COLOCADO UMA VÍRGULA NO LUGAR ERRADO. ABRAÇO!