4 de agosto de 2009

Lembra deles? (I)

Álbum de figurinhas é bom demais. Resolvi olhar o meu álbum do Brasileiro de 1992, quando tinha apenas seis anos ainda, e muitos nomes me causaram surpresa.

Listarei, por etapas, alguns jogadores que me fizeram, ao menos por um instante, ter novamente seis anos. Nesse post, os grandes de São Paulo:

São Paulo:
Sidney, volante, então com 22 anos
Elivélton, atacante, então com 21 anos
Suélio, meia, então com 25 anos

Corinthians:
Giba, atualmente técnico, então com 30 anos
Márcio Bittencourt, atualmente técnico, então com 28 anos
Dinei, atacante, então com 21 anos

Palmeiras:
Daniel Frasson, meia, então com 26 anos
Jorginho, ex-interino do Palmeiras, então com 27 anos
Dorival Júnior, atualmente técnico, então com 30 anos
Edu Marangon, meia, então com 29 anos

Santos:
Sérgio Guedes, atualmente técnico, então com 30 anos
Marcelo Veiga, atualmente técnico, então com 28 anos
Guga, atacante, então com 28 anos
Sérgio Manoel, meia, então com 20 anos

Amanhã, os times do Rio de Janeiro.

7 comentários:

Juliana disse...

Por falar nisso, vc nem completou o álbum que eu te dei, né? =/

Futebol ao Cubo disse...

Não. rs
Mas o tenho guardadinho aqui.

Leonardo disse...

Eu lembro como se fosse hoje do gol do Elivelton em 95, meu pai pegou um autografo dele 1 mes depois...

Hugo Becker disse...

Nossa, Edu Marangon foi demais, lembrou meu vô, mew...

Eu tenho o Guia do Brasileirão de 90, tem umas figuras assim, também.

Futebol ao Cubo disse...

Elivélton que, se bobear, a gente encontra ele num time da Série A3, Série C do Brasileirão... Junto com o Macedo.


É gostoso demais ter essas coisas, são objetos de imenso valor, mas que no momento não temos noção do valor isso terá daqui uns anos. Eu já tinha pensado em vender meus álbuns. Me arrependeria brutalmente hoje em dia.

Juliana disse...

Quanto aos outros eu não sei, mas se vendesse o meu presente nunca mais falaria com vc =P

Carlos disse...

A vida de glória de um jogador bom, é em media 11 anos.Por isto muitos nomes vem e vao. abraços Carlos