17 de fevereiro de 2011

A vitória do Arsenal sobre o Barça em um nome: Wilshere

O jogo mais aguardado das 8as de final da UEFA Champions League fez jus ao que era esperado, e Arsenal e Barcelona fizeram um baita jogo no Emirates Stadium, com os Gunners, de virada, vencendo por 2 a 1, garantindo curta, mas boa vantagem para a partida de volta, dia 08/03, na Espanha.

A atuação do volante Jack Wilshere foi de encher os olhos. Nos momentos em que o Arsenal esteve mal na partida, como da metade do primeiro tempo até o apito para o intervalo, era dele praticamente a única opção de passe que vinha dando certo, já que, como de costume, o Barcelona marcou demais no campo ofensivo, provocando excessivos erros de passe da linha defensiva inglesa - em especial Eboué e Djourou.

Além disso, o selecionável inglês de 19 anos deu dinamismo ao time nos 90 minutos, sendo o jogador que mais acertou passes no Arsenal, tanto em quantidade quanto em aproveitamento, 83% de acerto (40 de 48). Fàbregas, por exemplo, acertou 73%.

Estranhamente, Daniel Alves jogou muito solto na primeira etapa, pois Nasri, o meia esquerda, pareceu esquecer do brasileiro, e não foram poucas as vezes em que Alves e Pedro fizeram 2 contra 1 em Clichy.

O gol de David Villa é a velha história do cobertor curto. Parece loucura jogar com a linha defensiva alta contra um time com qualidade de passe tão sobrenatural quanto o Barça, visto na enfiada de Messi para o espanhol. Mas jogar com a linha recuada é se sujeitar demais ao adversário, seriam 45 minutos de pressão assim. No geral, nesse aspecto, a defesa do Arsenal esteve bem, o Barcelona teve mais impedimentos do que de costume.

Outro detalhe do gol catalão é que o amarelado Song não pôde tentar fazer o desarme sobre Messi como faria se não tivesse cartão, e isso custou a assistência do argentino.

Embora sem alterações táticas, o Arsenal começou o segundo tempo mais ligado - Wenger ajudou Nasri a se "lembrar" da presença de Daniel Alves, e o francês passou a grudar no lateral brasileiro.

Um momento chave da partida foi a esquisita alteração de Josep Guardiola, tirando David Villa e colocando o volante Seydou Keitá, aos 23 minutos. A reação do Arsenal teve início aqui.

Wenger ousou, primeiro tirando Song - que teve sorte em não ser expulso - e colocando Arshavin (deixando o russo aberto pela esquerda e passando Nasri pra fazer dupla com Wilshere), e depois tirando Walcott para colocar Bendtner.

O gol veio no minuto seguinte com Van Persie, que vinha finalizando mal, mas acertou o mais improvável dos chutes tentados. Lançamento de Clichy nas costas de Piqué.

Isso despertou o Barça. Um despertar fatal: tal qual caracterizou o time campeão invicto da temporada 2003/04, um contra-ataque fulminante, que começou em exímio passe de Fàbregas para Nasri, e o francês, com tranquilidade, ajeitou para Arshavin bater no contrapé de Valdés.

Foi um prêmio para uma equipe que ousou e encarou o Barcelona de frente. É evidente que nenhum time no mundo dominará a posse de bola contra os catalães, mas enquanto a teve, na maior parte do tempo, o Arsenal soube usá-la.

Se vai ser suficiente, não se sabe. Duro é precisar aguardar vinte dias pra saber...

Ao Barcelona, fica o sinal amarelo ligado: é a melhor equipe do mundo, segue sendo favorito tanto no confronto quanto na Liga dos Campeões, mas a substituição de Guardiola tirando Villa pra colocar Keitá teve uma dose de soberba. E lembrando: Piqué está suspenso e Puyol ainda se recupera de lesão.




Ficha da partida:

Arsenal: Szczesny; Eboué, Djourou, Koscielny e Clichy; Song-Billong(Arshavin 68') e Wilshere; Walcott(Bendtner 77'), Fàbregas e Nasri; Van Persie.
Téc.: Arsène Wenger.

Barcelona: Victor Valdés; Daniel Alves, Piqué, Abidal e Maxwell; Xavi, Busquets e Iniesta(Adriano 89'); Pedro, Messi e David Villa(Seydou Keitá 68').
Téc.: Josep Guardiola.


Gols: Van Persie 78' e Arshavin 83'; David Villa 26'

Amarelos: Song-Billong, Nasri e Van Persie; Piqué e Iniesta

Árbitro: Nicola Rizzoli, Itália

Local: Emirates Stadium, Londres

4 comentários:

Rodrigo De Ros disse...

Achei boa a atuação do Wilshere, mas creditar a vitória na conta dele é esforço. Prefiro creditar na conta do Wenger e do Van Persie

Karen Senoo disse...

Eu concordo que o Jack foi excepcional ontem! Ajudando na marcação, roubando bolas e partindo para o contra-ataque... a cada jogo que passa ele se firma mais no time e hoje, não consigo imaginar nosso meio-campo sem ele. Grande virada do Arsenal pra cima do grande Barça. Ainda temos 90 min para decidir a vaga para as quartas, vai ser difícil no Camp Nou, mas depois de ontem, eu acredito mais do que nunca nesse time =)
C'mon you gunners xD

Bjos
@kts_gunner

Gabriel Campi disse...

Belo post, André. Não pude ver o jogo, mas só vendo os lances deu pra ver que fou um partidaço. Expectativa de grande jogo na volta em Barcelona.

Abraços!

www.blogfutebolnaveia.blogspot.com

diego disse...

aceita parceria?
visita lá meu blog
http://mengaohexa.blogspot.com/